Viagens

Uma das maiores descobertas arqueológicas dos últimos tempos, sobre a evolução da espécie humana, encontra-se aqui em Portugal, bem no meio do País. Pegue na família, entre no seu Ford e proporcione-lhes uma viagem que alia o conhecimento ao lazer, com garantia de uma aventura inesquecível.

Esqueleto quase completo de uma criança com 24.500 anos dá resposta a questões há muito levantadas pela comunidade científica sobre quem somos e de onde vimos. Baptizado como Menino do Lapedo, o esqueleto de uma criança com 24.500 anos, encontrado em 1998, colocou um lugar remoto no centro das atenções de investigadores de todo o mundo. Chama-se Abrigo do Lagar Velho – Vale do Lapedo e situa-se na Freguesia de Santa Eufémia, a cerca de 13 quilómetros de Leiria, com excelentes acessos, seja qual for o seu ponto de partida (ver mapa).

Inserido numa envolvente rural o Vale do Lapedo, esculpido pela Ribeira do Sirol por entre o maciço calcário, é destino de muitas famílias que, sobretudo ao fim de semana ali se deslocam para desfrutar do agradável parque de merendas, mas importa saber mais sobre o segredo que este lugar guardou durante muitos milhares de anos.

Foto: Ricardo graça

Foto: Ricardo Graça

Uma descoberta arqueológica ímpar

O Menino do Lapedo, fóssil da criança que teria cerca de quatro anos de idade quando ali foi sepultada, é o único esqueleto quase completo do Paleolítico Superior existente na Europa e a única sepultura do género encontrada na Península Ibérica. Em 1998 a notícia gerou alvoroço entre a comunidade científica, sendo que a principal descoberta associada a este fóssil está relacionada com a possibilidade de provar a tese da miscigenação (mistura) entre dois tipos diferentes de humanos.

A hipótese, há muito defendida por arqueólogos de todo o mundo, tinha sido, até aqui, sucessivamente abandonada por falta de elementos que a verificassem, uma vez que apenas pequenos fragmentos de ossadas haviam sido encontrados. O Menino do Lapedo veio dar substância a esta possibilidade, já que o seu esqueleto demonstra características que evidenciam o cruzamento entre o homem anatomicamente moderno e o homem de Neandertal, que foi seu contemporâneo e está extinto há cerca de 30 mil anos.

Foto: Ricardo graça

Foto: Ricardo Graça

Inaugurado em 2008, o Centro de Interpretação do Abrigo do Lagar Velho, no Vale do Lapedo, dá a conhecer aos visitantes os resultados da investigação realizada no sítio arqueológico do Abrigo do Lagar Velho e a sua contextualização na história da evolução humana.

No museu é possível ver uma réplica do esqueleto, depositada numa réplica da sepultura, bem como uma reconstituição facial a partir do crânio da criança, feita pelo antropólogo americano Brian Pierson, com recurso a técnicas usadas pelo próprio ao serviço da indústria cinematográfica de Hollywood.

No museu é ainda possível ver a réplica de uma lareira, feita à luz de uma lareira também descoberta durante as escavações. Sabe-se que, na época, a lareira representava um elemento de extrema importância para a preservação da carne dos animais caçados e das suas peles, para cozinhar ou para o fabrico de utensílios. Alguns artefactos de pedra, ossos de animais e respectivas réplicas estão também disponíveis no museu para venda.

Foto: Rafael Silva

Foto: Rafael Silva

Se pretende conhecer o Centro de Interpretação é sempre melhor ir com vista marcada. Pode fazê-lo por telefone, através do número 244 839 677, ou por email, com o endereço museudeleiria@cm-leiria.pt

O Abrigo do Lagar Velho, no Vale do Lapedo foi classificado como Monumento Nacional e toda a zona tem um reconhecido potencial ambiental e arqueológico que vale por si. Passear neste lugar é estar perante uma intocável herança. É ir ao encontro de quem somos e de onde vimos, com a certeza de estar a conhecer um lugar com muitos segredos ainda por desvendar.

Vá à aventura, os achados não são exclusividade dos arqueólogos e em qualquer recanto pode estar mais uma pista sobre a história da humanidade.

E ali ao lado em Leiria…

leiria_web

Aproveite ainda a viagem para visitar o Museu de Leiria, onde pode ver, ao vivo e a cores, o fóssil do Menino do Lapedo, bem como relíquias arqueológicas de animais primitivos com mais de 150 milhões de anos.

O Museu de Leiria, recentemente inaugurado, leva-o numa viagem à história do território, com recurso à exposição de diversos objectos, acontecimentos e mitos que a constroem, inseridos em exposições permanentes e temporárias. No Museu de Leiria ficará a saber tudo sobre a constituição da cidade de Leiria, sobre a construção do seu castelo e o alargamento da cidade para fora das suas muralhas.

O espólio arqueológico, de arte sacra, escultura e pintura de diferentes épocas não o vão deixar indiferente, assim como não deixaram entidades como a Associação Portuguesa de Museologia e a Acesso Cultura, que o distinguiram este ano com os prémios para Melhor Trabalho Museográfico, Melhor Museu e Acessibilidade Física, um passo importante para uma cidade que é candidata a Capital Europeia da Cultura 2027.