Motorcraft

É daquelas pessoas que nunca se assusta com nada e não pensa ficar em casa mesmo que o vento sopre de forma violenta, chova a cântaros ou caia um grande nevão? Está com sorte! O seu Ford será o melhor aliado possível para que chegue sem percalços ao seu destino. Contudo, antes de enfrentar as intempéries, deve passar pela Motorcraft para garantir que o seu carro está em perfeitas condições. Depois, siga os nossos conselhos de condução.

1. Tenha atenção aos pneus 

Frio, chuva, gelo, neve… no inverno reina a instabilidade climática, o que tem um impacto decisivo na sua condução. Primeiro que tudo, deve certificar-se de que os pneus do seu Ford estão em perfeitas condições. Este é um aspeto fundamental em qualquer estação, mas ainda mais nestes meses em que normalmente a aderência diminui. Lembre-se de que o relevo dos pneus deve ter, de acordo com a lei, pelo menos 1,6 centímetros de profundidade. No entanto, quanto maior for, melhor a aderência. Este elemento é particularmente importante quando chove, já que a ameaça de aquaplanagem está sempre presente.

Se quer que os pneus não o deixem ficar mal, deve escolher aqueles que são mais adequados a cada ocasião. Nestes meses, se for conduzir em áreas especialmente fustigadas pelo tempo invernoso (gelo, neve, etc.), o melhor é colocar pneus de inverno que, graças à sua composição e ao relevo do seu piso, conferem maior aderência em superfícies muito escorregadias. Se as condições meteorológicas não forem muito extremas, um jogo de pneus mistos poderá ser suficiente. A Ford dispõe de uma ampla gama de modelos, mistos e de inverno.

2. Ver e ser visto, esta é a questão

Parece óbvio, mas nunca é demais referir que, antes de se fazer à estrada, deve verificar se todas as luzes do veículo (cruzamento, presença, máximos, intermitentes, marcha-atrás, travões e nevoeiro) funcionam corretamente. Nesta época do ano irá enfrentar muitas horas de escuridão, mas também situações em que a visibilidade é muito reduzida devido ao nevoeiro, à chuva ou à neve, por isso é fundamental que as óticas do seu carro estejam a funcionar devidamente. Os kits de luzes diurnas LED são uma boa opção, porque fazem com que o seu Ford seja mais visível, ao mesmo tempo, que lhe conferem uma estética muito apelativa.

fords-summer-check-includes-a-30-point-inspection

3. Acha que não tem de trocar as escovas?

Em caso de dúvida, não hesite. Normalmente, recomenda-se que as escovas sejam trocadas uma vez ao ano. Se fazem barulho quando estão a funcionar, é sinal de que a borracha está gasta e têm de ser trocadas. Se não estiverem em perfeitas condições, as escovas poderão não varrer a água corretamente se chover intensamente (não se esqueça de que o para-brisas recebe constantemente a água e, por vezes, até a lama do carro que vai à sua frente) e afetar a visibilidade de forma muito perigosa. Recomendamos-lhe as escovas dianteiras Motorcraft.

4. Revisão mecânica, sim ou sim

Faça uma revisão pormenorizada ao seu Ford antes de ir de viagem, sobretudo no inverno. O nível da bateria deve ser adequado. Tenha em conta que nesta altura do ano a bateria tem de fazer um esforço adicional por causa do frio e, se a temperatura descer bruscamente, a bateria até pode ficar descarregada completamente. Por isso, jogue pelo seguro e leve uns cabos de bateria consigo.

Outro elemento essencial é a revisão dos líquidos e fluidos. Por exemplo, os líquidos anticongelantes para o limpa para-brisas e a refrigeração do carro ou o líquido dos travões. Obviamente que também é importante verificar o óleo do motor, especialmente no inverno, quando o motor trabalha ainda mais devido ao frio. A manutenção Motorcraft inclui a mudança do óleo Motorcraft e filtro de óleo, mudança do filtro de ar e revisão dos principais pontos de segurança.

5. Não saia sem…

A prudência e o seu Ford são sempre bons parceiros caso queira fazer-se à estrada, em segurança, no inverno. Contudo, antes de partir, deve certificar-se de que leva tudo o que é necessário em caso de emergência. Ainda que o seu Ford esteja equipado com um kit de primeiros socorros, deve assegurar-se de que tudo está no sítio certo e em boas condições. Além disso, não se esqueça que segundo o Código da Estrada Regulamento Geral de Veículos é obrigatório ter um coleto refletor de alta e um triângulo de pré-sinalização. Além disso, é boa ideia ter sempre consigo uma lanterna grande com pilhas carregadas.

6. O calor de que necessita

Além de lhe dar o calor necessário para não passar frio durante as suas viagens no inverno, o aquecimento é um elemento de segurança, sobretudo quando o frio ou a chuva se intensificam, já que evita que os vidros fiquem embaciados. Como tal, deve verificar se os filtros, os vidros aquecidos e o sistema de aquecimento estão em boas condições.

fordnaias_autonomy_04

7. As gotas que mudam tudo

A aderência e visibilidade são fundamentais quando caem as primeiras gotas e, à medida que a intensidade da chuva aumenta, estas duas constantes diminuem cada vez mais e a nossa segurança fica comprometida. Mas esteja descansado porque temos armas para combater estes efeitos. Especialmente duas. Em primeiro lugar, deve reduzir a velocidade do seu Ford. Quanto mais rápido conduzir, mais água se acumula nas bandas dos pneus e poderá dar-se o caso destas não conseguirem desalojar todo o fluxo de água, resultando no efeito de aquaplanagem. Por outras palavras, o carro pode deslizar de forma descontrolada devido à falta de aderência. Se isso acontecer, lembre-se de que não deve dar guinadas no volante e pisar o travão a fundo, só se o carro estiver equipado com sistema ABS (obrigatório em todos os veículos fabricados na UE a partir de 2004).

Relativamente à falta de visibilidade, como já referimos anteriormente, é fundamental que o limpa para-brisas esteja em boas condições para que consiga varrer toda a água que cai do céu e que vem dos carros que seguem à sua frente. Além disso, não raras vezes, os vidros ficam embaciados devido à condensação que se produz pela diferença de temperatura e humidade entre o exterior e interior. Neste caso, oriente o ar quente do aquecimento para o para-brisas para desembaciá-lo rapidamente. Além disso, deve aumentar a distância de segurança até, pelo menos, o dobro do habitual, dado que as travagens em piso molhado são mais prolongadas.

8. Descontraia, o nevoeiro não lhe fará frente

É óbvio que o nevoeiro é um dos piores inimigos da visibilidade. Mas o mais importante é manter a calma e tomar as decisões acertadas. Por exemplo, um erro que os condutores cometem frequentemente é ligar os máximos na esperança de verem melhor. Contudo, como os máximos são tão fortes, refletem-se no próprio nevoeiro e obtém-se precisamente o efeito contrário ao desejado, além de encadearem os restantes condutores. Aquilo que deve fazer é ligar as luzes de presença e cruzamento. Relativamente aos faróis de nevoeiro, os dianteiros são opcionais, ainda que possam ser muito úteis, enquanto os traseiros são obrigatórios quando o nevoeiro é intenso.

No que se refere à nossa condução, devemos reduzir a velocidade, aumentar a distância de segurança face aos carros da frente e estar concentrados em manter a trajetória correta, observando sempre as linhas da estrada, já que com o nevoeiro deixamos de ter outras referências.

9.Respire fundo e enfrente o vento

Viajamos comodamente no nosso Ford, mas o vendaval lá fora é tremendo. Em primeiro lugar, como é que se deve medir a força e direção do vento para tomar as precauções adequadas? Há sinais que não enganam. Por exemplo, se o carro tem dificuldades em manter a velocidade, é porque há um grande vento de frente. Pelo contrário, quando sentimos o carro demasiado solto, sobretudo nas descidas, é possível que tenhamos vento forte pelas costas. Já o vento lateral faz com que o carro abane. Além disso, tanto os sinais de trânsito específicos, como outros elementos da paisagem (por exemplo, as árvores) podem dar-nos uma ideia da força do vento.

Aquilo que é mais perigoso no vento é que pode mudar a nossa direção e, se não estivermos atentos para corrigir o seu efeito, podemos apanhar um valente susto. De forma a evitar este problema, deve reduzir a velocidade, circular no centro da sua faixa de rodagem, utilizar velocidades baixas e um alto regime de rotações para manter a trajetória com mais facilidade, agarrar com força o volante e realizar movimentos suaves. Além disso, tenha muita cautela nas ultrapassagens ou nas saídas dos túneis, e esteja atento aos objetos que lhe poderão vir para ao para-brisas (malas, papéis, etc.), especialmente na cidade, e que lhe podem retirar a visão.

kugasnow

10. Desfrute da neve

Conduzir com neve não é difícil, mas é muito perigoso, se não forem tomadas as precauções certas. Tal como quando chove ou há gelo no asfalto, o principal inconveniente da neve é a falta de aderência. Primeiro que tudo, importa usar pneus de inverno, que têm mais aderência e são mais eficazes nas travagens e acelerações do que os pneus normais (cujo rendimento baixa se a temperatura for inferior a 7° C).

Além disso, se tivermos os pneus de inverno, podemos utilizar o sistema eletrónico de estabilidade do nosso Ford. Caso contrário, o melhor será pôr as correntes e, nesse caso, recomendamos que desligue o sistema eletrónico de estabilidade, dado que este foi concebido para funcionar num piso com uma aderência constante. Note que as correntes não são obrigatórias, salvo nos troços de estrada expressamente indicados. De qualquer forma, é aconselhável levá-las sempre consigo, não vá serem precisas. Se for esse o caso, lembre-se de que as correntes apenas se colocam nas rodas motrizes.

Outra forma de ganhar tração nas rodas motrizes é conduzir, sempre que possível, em mudanças baixas, tentando tocar o menos possível na alavanca da caixa de velocidades. Além disso, é recomendável reduzir a velocidade, aumentar a distância de segurança (a neve pode multiplicar por cinco a distância de travagem) e evitar as guinadas (porque a aderência não é a ideal).

Se a camada de neve for muito grande, talvez sejamos obrigados a parar o veículo e seguir as indicações das autoridades. Como se pode dar o caso de ficarmos parados durante muito tempo (até mesmo algumas horas), é melhor garantir que, nestas condições, temos sempre o depósito de combustível cheio ou quase cheio, já que isso dará autonomia ao aquecimento.

Se não se esquecer de seguir estes conselhos, poderá usufruir em segurança do prazer da condução nestes meses. Saia com o seu Ford e viva o inverno!

Descubra o Ford Motorcraft