Escapada a Évora, a joia do Alentejo ainda desconhecida de muitos

Escapada

O Alentejo é muito mais que praias, sobretudo se o visitamos com o nosso Ford e podemos dar um salto a lugares tão belos como Évora, Património da Humanidade da Unesco. Um lugar cheio de história que lhe damos a conhecer numa escapada de fim de semana.

A região do Alentejo, quase infinita, conserva a essência de Portugal: é marítima e tradicional, saborosa em cada prato e amável em cada sorriso, grandiosa até fazer sentir a síndrome de Stendhal, íntima em cada esquina do seu património natural… Pode dizer-se, sem medo de errar, que o Alentejo tem de tudo. E é nesta terra maravilhosa que encontramos uma cidade, Évora, que tal como outras da região brilha com luz própria. Por isso deixamos-lhe este convite a atravessar a região ao volante do seu Ford e a acompanhar-nos pelas ruas desta cidade repletas de história. Vamos lá!

Rua de Évora. Foto: iStock

Rua de Évora. Foto: iStock

Declarada pela UNESCO Cidade Património da Humanidade, a melhor forma de apreciar a riqueza de Évora é ao ritmo de um passeio tranquilo pelas ruas estreitas e pelas vielas do centro histórico, ladeadas de casas de fachadas brancas, e onde esperam por si verdadeiras joias monumentais que escondem muitos dos segredos da História de Portugal. É que por volta do século XV, então a segunda cidade mais importante do país, Évora viveu um grande esplendor graças aos vários reis – D. João II, D. Manuel I e D. João III – que escolheram a cidade para passar largas estâncias.

 A herança romana de Évora

Contudo, as origens de Évora são muito mais antigas. A presença romana na cidade deixou-nos maravilhas como o magnífico Templo Romano – também conhecido como Templo de Diana, apesar de ter estado consagrado ao culto imperial e não ao da deusa Diana –, que foi construído no século I d.C. O templo, formado por 14 colunas coríntias coroadas com mármore de Estremoz, é um dos grandes símbolos de Évora e também um dos monumentos romanos mais bem conservados de toda a Península Ibérica (foi murado para se transformar numa fortaleza na Idade Média e só voltou a recuperar a forma original aquando da sua restauração no século XIX).

Templo de Diana. Foto: iStock

Templo de Diana. Foto: iStock

O outro grande legado romano de Évora são as termas, localizadas no edifício da Câmara Municipal. As termas foram descobertas em 1987 e possuem uma sala aquecida para banhos de vapor e uma piscina circular de 9 metros de diâmetro em excelente estado de conservação.

Os monumentos da cidade

Seria imperdoável que durante a sua escapada a Évora não visitasse os tesouros mais valiosos da cidade: a Sé de Évora, uma imponente construção gótica, com pormenores românicos, que é considerada a maior catedral medieval do país; o Convento de São Francisco, um dos melhores exemplos do gótico tardio português, que acabou de ser construído no reinado de D. Manuel I; e a Capela dos Ossos, um lugar incrível e único no mundo que faz parte da igreja do convento de São Francisco. Esta capela é uma cripta dos finais do século XVI cujas paredes e pilares estão revestidos por mais de cinco mil caveiras e milhares de ossos que os construtores, os frades franciscanos do convento, resgataram dos cemitérios da cidade com uma única finalidade: fazer-nos refletir sobre a transitoriedade da vida.

Interior da Capela dos Ossos. Foto: iStock

Interior da Capela dos Ossos. Foto: iStock

Do Palácio do Rei D. Manuel I, até à sua destruição, em 1895, um dos edifícios mais belos e imponentes do país, resta hoje apenas a Galeria das Damas, um belo edifício de estilo manuelino. Foi neste palácio que Vasco da Gama recebeu o comando da frota que descobriria o caminho marítimo para a Índia.

Quer agora parar e descansar um pouco? Se sim, poderá aproveitar uma das esplanadas da Praça do Giraldo, o verdadeiro centro nevrálgico da cidade, enquanto relembra alguns dos episódios chave da História de Portugal que aconteceram aqui, como a execução de Fernando, duque de Bragança. Quem diria, já que hoje esta praça é um local com muita animação, comércios e muita gente a saborear tranquilamente uma boa refeição!

A gastronomia e os vinhos Alentejanos

E eis que é chegada a hora do almoço nesta escapada a Évora ao volante do nosso Ford; e já sabe, pois não é nenhum segredo, que no Alentejo se come muito bem. Em qualquer restaurante da cidade vai poder degustar as especialidade tradicionais da região: queijos, enchidos, presunto e azeitonas são algumas das entradas para começar o almoço, no qual não faltará o porco alentejano, as migas ou a açorda à alentejana, sempre acompanhada de coentros, loureiro e hortelã. Tome nota destas sugestões: o imprescindível Dom Joaquim (rua dos Penedos, 6), onde as espetadas assadas com puré de milho, o lombo de bacalhau com ovo escalfado ou o cordeio no forno são, simplesmente, de outro mundo; e o muito trendy BL Lounge (rua das Alcaçarias, 1), onde a carta é mais inovadora mas ainda assim sempre enraizada na dispensa alentejana. Peça umas migas de tomate com espetada de lombo e bacon e vai poder comprovar por si a verdade do que acabámos de dizer.

Além disso, também já sabe que no Alentejo se produzem alguns dos melhores vinhos de Portugal, e isto não é de somenos importância! Passe pela Associação Rota dos Vinhos do Alentejo (Praça Joaquim António de Aguiar 20), onde poderá provar os melhores vinhos da região e conhecer as diferentes variedades de uva do Alentejo.

Um Natal diferente

O Natal é vivido e sentido em Évora, como em todo o Alentejo, de um modo muito verdadeiro e intenso. A Missa do Galo, os Autos de Natal, os presépios vivos… e o acender do madeiro para aquecer o Menino Jesus. Esta é uma das tradições mais esperadas do Natal de Évora e consiste em acender troncos de árvore nas praças e nas ruas na noite de Natal. Nas casas, também se deixa a árvore de Natal ao lado da lareira, para quando o Menino Jesus vier deixar o presentes para toda a família – aqui é ele quem o faz e não o Pai Natal – não passar frio…

À mesa, em Évora também se vive um Natal diferente e muito saboroso! No distrito, a tradição da matança do porco cumpre-se poucos dias antes do Natal, pelo que, como poderá imaginar, este manjar está muito presente em todas as mesas decoradas para a ocasião. Além do porco, não faltará na mesa da consoada uma deliciosa sopa de peixe (de cação, pescada ou bacalhau), tudo acompanhado com batatas, nabo ou couve-flor. Nham, nham!

 Adrenalina ao máximo

Em Évora, os níveis de adrenalina vão subir quando estiver a contemplar a cidade das alturas num voo de balão. E no vizinho Lago do Alqueva – a maior barragem da Península Ibérica – poderá praticar desportos náuticos ou, simplesmente, passar uns dias a navegar numa embarcação equipada com todas as mordomias.

Barragem do Alqueva. Foto: iStock

Barragem do Alqueva. Foto: iStock

 Uma viagem no tempo

No Alentejo há centenas de jazidas megalíticas, datadas dos milénios IV e III a.C. Em Évora, poderá visitar o Centro Interpretativo Megalithica Ebora do Convento dos Remédios para ficar a conhecer tudo sobre o megalítico antes de explorar os arredores da cidade e viver uma verdadeira viagem no tempo até à pré-história. Não perca o Cromeleque dos Almendres, um espetacular conjunto de 95 monólitos – o maior da toda a Península Ibérica –, rodeado por uma espetacular devesa e de onde poderá apreciar umas incríveis vistas panorâmicas de Évora.